[ editar artigo]

A importância do agir dia após dia

A importância do agir dia após dia

“Você nunca sabe que resultados virão da sua ação. Mas se você não fizer nada, não existirão resultados”, já dizia Mahatma Gandhi.

E é bem assim mesmo que acontece. Nem sempre novos projetos, desafios ou situações nos tiram da zona de conforto, embora o mundo esteja em constante mudança.

O mínimo que podemos fazer diante disso é nos adequar e acompanhar as transformações.

O legado dos que seguem em frente

Recentemente, em um treinamento para equipe comercial de uma empresa do ramo farmacêutico, conheci um senhor que deveria ter lá seus quase 70 anos. Ele disse que foi um dos primeiros vendedores da empresa e que trabalhava lá até hoje. Me falou com orgulho por ter passado e acompanhado todas as mudanças no mercado.

Esse é o legado! Essa é a inspiração!

Os novos líderes, sejam eles líderes em empresas, de clínicas ou líderes de suas vidas pessoais, são aqueles que, ao invés de reclamar, buscam soluções, oferecem alternativas e, sobretudo, agem. Eles seguem em frente, ao invés de andar para trás ou de permanecer paralisados.

No entanto, me arrisco a dizer que a maioria ainda se assusta, não se arrisca e permanece estagnada, sem perspectiva e só reclamando.

O rio da mudança

Acontece mais ou menos como o autor, Joe Dispenza, comenta. Ele diz que, ao cruzarmos o rio da mudança, enfrentamos dois perigos: os outros e os nossos próprios temores.

De acordo com Dispenza, os outros são as pessoas que não gostam de mudanças, embora mudar seja uma questão de sobrevivência. Elas se acostumaram com o fato de sermos de determinada maneira e ficam inquietas se não estamos “controlados”, tal como elas nos conhecem. Por isso, quando começamos a nadar para a outra margem, não se surpreenda: elas gritarão para que voltemos. Logo, evite escutar os outros quando tiver decidido a mudar, seja o que for. Ouça o seu EU interior e siga em frente.

O incômodo da água gelada

O autor ressalta, ainda, o quanto desnecessário é afirmar que mudar é como cruzar um rio de água fria. Muitos se jogam no rio e, no meio do caminho, gritam: “A água está gelada!”, então, todos voltam para a zona de conforto. Ninguém disse que a mudança não seria incômoda. Por isso, nunca escute seus medos quando estiver decidido a mudar.

Ao contrário: quando souber o que fazer, se jogue na água e não pare de nadar até chegar à outra margem. 

Depois você vai poder escutar o que quiser. Só não volte atrás, nem se afogue!

Pense sobre isso e enfrente. Siga em frente sempre!

Boa sorte e até a próxima semana.

Canal de Estimação
Pauline Machado
Pauline Machado Seguir

Diretora Editorial do Canal de Estimação e apresentadora do programa Canal de Estimação, exibido pelo RIC Play - plataforma digital do Portal de Notícias do Grupo RIC | Rede Record do Paraná. Há 14 anos desenvolve ações em prol dos animais.

Ler matéria completa
Indicados para você