[ editar artigo]

A prática do Agility pode ajudar a tratar a obesidade canina

A prática do Agility pode ajudar a tratar a obesidade canina

Quase 60% dos cães em todo o mundo estão acima do peso. Os dados são de um estudo publicado em fevereiro deste ano, pelo Waltham Centre for Pet, entidade que promove pesquisas sobre nutrição e saúde de animais de estimação há mais de 50 anos. De acordo com os pesquisadores, uns dos grandes vilões são os petiscos dados pelos tutores. Entre os problemas causados pelo excesso de peso, estão a diabetes, os problemas cardíacos e as dificuldades respiratórias.

O estudo ainda aponta que 54% dos donos cedem aos pedidos de seu pet por mais alimentos e somente 20% medem a quantidade de comida oferecida. O levantamento foi realizado no Brasil, na China, na Rússia, nos Estados Unidos e no Reino Unido. “Esse estudo é muito preocupante, pois os cães dependem exclusivamente de seus donos para se alimentarem. Os tutores devem estar conscientes de que, assim como o ser humano, os animais também precisam controlar sua alimentação, seja em relação à quantidade e ao horário”, alerta o médico veterinário e fundador de Clube de Cãompo, Aldo Macellaro Júnior. “Atualmente há diversos tipos de petiscos mais naturais que podem ser dados aos pets – mas sem exagero”, recomenda.

O excesso de peso também é resultado de refeições diárias excessivas aliadas à falta de atividade física. Alguns sinais identificam se o cão está acima do peso, como não visualizar a linha da cintura quando se olha o animal de cima, coluna com curvatura acentuada devido ao peso do abdômen e demonstrações de cansaço. Se identificar qualquer um desses sinais, o dono deve levar seu pet imediatamente ao consultório veterinário para que seja feita uma análise e o profissional indique a melhor dieta.

Além de reformular a alimentação do animal, é preciso incluir uma atividade física, como passeios e brincadeiras. “Cães não nasceram para ficar presos em casa ou no apartamento. Eles precisam de espaço para gastar energia”, explica Macellaro Júnior, que também faz um alerta: isso deve ser feito de forma moderada e aumentando gradativamente, de acordo com as condições do pet.

Outra dica é inserir a prática de esportes, como a natação e o agility. Mas, antes de transformar seu bichinho um atleta de quatro patas, é necessário ir até o médico veterinário de sua confiança para verificar as condições de saúde, principalmente do coração.

Agility, um esporte em alta

A prática do agility vem ganhando cada vez mais adeptos no Brasil e no mundo. Praticado pelo animal e seu tutor, o esporte requer muita habilidade e agilidade dos cães que, sob o comando dos seus donos, percorrem um circuito cheio de obstáculos como gangorras, muros, túneis, pneus, entre outros. O objetivo é completar o circuito sem infrações e no menor tempo possível.

Um dos locais mais visitados e recomendados para a prática do agility é o Clube de Cãompo, localizada no município de Itu (SP), a cerca de 100 quilômetros da capital paulista. “Essa atividade estimula a inteligência, obediência, socialização e o condicionamento físico dos cães, aprimorando a educação dele e o bom relacionamento entre o dono e o animal”, diz o médico veterinário.

Mas, não é só o cão que se exercita e se diverte. O dono também pode queimar calorias e driblar o estresse. Macellaro Júnior destaca outro ponto extremamente positivo: a melhoria do relacionamento entre o bichinho de estimação e o dono. “Ao praticar o agility, o animal aprende obediência ao dono e isso garante maior disciplina no dia a dia”, diz.

O Clube de Cãompo também possui uma piscina esterilizada com luz ultravioleta para minimizar a utilização do cloro na água. Com alto gasto calórico, a natação minimiza o impacto nas articulações e ligamentos do animal. “Além disso, como nos humanos, garante uma sensação de bem-estar e relaxamento nos animais”, afirma Macellaro Júnior.

Tanto para o agility como para a natação, o Clube de Cãompo conta com profissionais especializados em treinar cães de diferentes tamanhos e níveis de experiência no esporte. O hotel fazenda para cães oferece aulas para os donos interessados em iniciar uma atividade física com o pet, envolvendo ensinamentos de adestramento comportamental e aulas de agility. Além disso, o local é uma ótima dica para quem quer fugir da poluição e do congestionamento das grandes cidades. São cerca de 60 mil metros quadrados de muito verde e ar puro para relaxar e se energizar.

Canal de Estimação
Pauline Machado
Pauline Machado Seguir

Jornalista, apresentadora do programa RIC Mais Pets. Há 14 anos desenvolve ações em prol dos animais. Criadora do projeto Paz Também Para os Animais.

Ler matéria completa
Indicados para você