Saiba como a tecnologia pode facilitar a vida dos animais

Se você tem 40 anos de idade ou mais, deve lembrar da série A mulher biônica. Na época não poderíamos imaginar o quanto a tecnologia iria evoluir em várias frentes, muito menos em prol dos animais.

No entanto, hoje – e felizmente, os avanços da tecnologia ajudam seres humanos e animais a terem vidas melhores com a criação de membros com próteses. Essas iniciativas têm o objetivo de ajudar aqueles que necessitam de um apoio da ciência para continuarem a se locomoverem e a viverem normalmente.

O site hypescience.com, publicou alguns casos curiosos de animais no qual chamaram de biônicos que tiveram suas vidas retomadas após a ajuda da Tecnologia.

E, nós, do Canal de Estimação, procuramos o médico veterinário André Richter, doutorando em cirurgia e pesquisador do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, para saber se essas possibilidades tecnológicas já existem aqui no Brasil e no Paraná. De acordo com ele, a perspectiva existe, mas… “No Brasil, inclusive aqui no Paraná, já temos profissionais que fazem esses tipos de procedimentos. No entanto, o impedimento ainda se encontra no preço que é alto devido ao valor do biomaterial ser muito elevado”, justifica o veterinário.

Veja quantos casos interessantes:

A elefanta trípede


 

 

 

 

Motola é uma elefanta de 48 anos que perdeu uma de suas pernas há 10 anos, quando pisou em uma mina terrestre na fronteira da Tailândia com Mianmar. Depois de três anos utilizando um aparelho para fortalecer sua musculatura, ela recebeu uma prótese em agosto.

 

A cauda biônica

 

Fuji tem 28 anos e vive em um aquário no Japão, e ganhou uma prótese de borracha depois de perder quase 75% da nadadeira depois de uma amputação feita devido a uma doença. Engenheiros da empresa de pneus Bridgestone criaram especialmente para Fuji a nova nadadeira biônica, que permite a ela um nado e pulos completamente normais.

 

Perna canina

 

 

 

Há oito anos, um produtor de próteses humanas se sensibilizou com a história de Maulee, que perdeu uma pata em um acidente com uma colheitadora de trigo. Daniel Holzer produziu a prótese da cadela com base em próteses usadas para atletas, com muito sucesso. Depois de um tempo, a prótese original teve que ser trocada, pois era usada como brinquedo pelos outros cachorros.

 

 

 

A águia biônica

 

 

Três anos depois de ser resgatada com uma bala no bico, a águia de sete anos chamada Beauty recebeu um presente que tornou a sua vida muito mais fácil: o engenheiro Nate Calvin criou para ela um bico substituto, que a ajuda a comer e beber com mais facilidade.

 

 

Maiô de pinguim

 

Conheça Pierre: esse pinguim de 26 anos perdeu todas as suas penas e passava por maus bocados enquanto seus 19 companheiros de tanque brincavam na água. Depois que o biólogo do aquário onde Pierre vive percebeu que o pinguim passava frio e era rejeitado pelos outros animais, Pierre ganhou uma roupa de velcro, coberta por penas. Depois de usar a roupa com sucesso e sem ser rejeitado pelos outros, as penas de Pierre voltaram a crescer normalmente.

 

Nadando em círculos

 

 

Allison, uma tartaruga marinha de cinco anos, sofreu um ataque de um tubarão que a deixou apenas com uma nadadeira, fazendo com que ela nadasse em círculos. Agora ela recebeu uma roupa de neoprene com nadadeiras, que permite que ela nade em qualquer direção e leve uma vida normal.

 

A tartaruga de patas biônicas

 

 

Lucky foi atacada por um guaxinim e perdeu as duas patas da frente. Sua dona, Sally Pyne, não queria fazer a eutanásia de seu animal de estimação, e conseguiu que o veterinário Robert Jereb criasse uma solução engenhosa para o problema da tartaruga. Lucky recebeu um implante que se assemelha a rodinhas de móveis, que permitem que ele se mova com o impulso das patas traseiras.

 

Próteses para cabras

 

 

 

 

Boonie, uma cabra de quatro anos, perdeu uma das patas após enrolar-se em uma corda, que cortou a circulação da perna. Sua dona, Mara Peterson, não economizou esforços para deixar Boonie saudável novamente, e conseguiu que uma empresa de produtos ortopédicos para animais ajudasse a cabra com uma perna biônica. De acordo com a veterinária de Boonie, ela é a terceira cabra a receber uma prótese do tipo.