Dicas para economizar nos cuidados com os pets

O país vem passando por uma séria crise econômica e política, afetando o bolso e os hábitos dos consumidores que buscam cada vez mais por opções para reduzir os gastos no orçamento da família.

No entanto, devemos lembrar que, quando se trata de saúde, o barato pode sair caro demais. Portanto, nós do Canal de Estimação, conversamos com a médica veterinária Patrícia Souza, especialista em dermatologia e mestra em bem-estar animal, que nos deu 10 dicas para economizar, mantendo a qualidade de vida dos animais em dia.

Confira:

1- Prevenção é a melhor maneira de economizar. Manter seu animal vacinado, vermifugado e com antiparasitário evita que ele pegue doença grave, que necessite de caro tratamento, podendo chegar ao óbito.

 

2- O animal não precisa de banhos semanais, portanto, se o orçamento estiver curto, reduza os banhos no petshop e passe a banhá-los em casa. Tome cuidado com os ouvidos e olhos. Uma água morninha e um sabonete neutro já fazem um banho excelente e gostoso.

 

3- Se dar banho em casa for uma tarefa difícil ou quase impossível, converse com o petshop para tentar fazer pacotes. Às vezes, um desconto a cada quatro banhos funciona bem para ambas as partes.

 

4- Pesquise bastante antes de comprar alimentos e medicações. Em geral, comprar pela internet em grandes redes de petshop, como Petz, PetLove e Cobasi, proporciona, além da facilidade de comprar sem sair de casa, o valor fica bem mais em conta, com descontos que podem chegar até a 20%.

 

5- Em tempos de reaproveitamento de materiais recicláveis podemos economizar muito. No YouTube encontra-se vídeos que ensinam, por exemplo, a fazer caminhas com pneus, bacias, blusas, que, além de lindas, são confortáveis e econômicas. Outra dica é usar potes de plástico ou bacias para comedouros e bebedouros.

 

6- Tente fazer um “cofrinho” para seu pet, em que todos os meses você deposite uma quantia de dinheiro para usar em casos de emergência. Isso pode ajudar na hora do sufoco.

 

7- Caso seu animal precise de consultas ou procedimentos veterinários, procure lugares com preços bons e boa qualidade como as Universidades Federais que possuem curso de veterinária, ou em ONGs que sejam referências no atendimento sério e de que qualidade na prestação de vários serviços a preços populares.

 

8- Em situações em que seu animal apresente qualquer sintoma atípico, não hesite em procurar o veterinário, pois, a demora ou tratamento errado pode agravar o caso tornando o gasto bem maior, além do sofrimento do animal.

 

9 – Se o preço da ração aumentar muito converse com seu veterinário sobre uma possível substituição sem diminuir a qualidade. Lembre: às vezes pagamos apenas pela marca e não, necessariamente, pela qualidade da ração.

 

10- Se você preferir comprar um animal, a adotar um que precise de um lar, busque informações sobre o histórico de saúde dos seus pais, seus principais problemas de saúde, etc. Algumas raças exigem cuidados mais frequentes que aumentam as despesas. Em geral, cães de raça tendem, não obrigatoriamente, a ter mais problemas de saúde que os cães sem raça definida, conhecidos como vira-latas. É por essas e outras que somos favoráveis à adoção. Além de não ter custo você ajuda a salvar uma vida!