Os animais e a Copa do Mundo

os-animais-e-a-copa-do-mundo-canal-de-estimacao

Enquanto uma parte do Brasil segue em festa aguardando em contagem regressiva o início da Copa do Mundo, outra aproveita a ocasião do Mundial para reivindicar melhorias salariais, na saúde, no transporte, na política, na educação e em tantas outras falhas genuinamente brasileiras.

Mas, em meio a isso tudo, há outra classe que, se pudesse, também iria para as ruas em busca de seus direitos – os animais.

Lembro-me de na última Copa ter ouvido um comentário muito interessante sobre uma questão que, até então, não tinha me ocorrido. Em entrevista a uma rádio, uma veterinária trouxe à tona a situação dos animais que vivem nas ruas deixando o questionamento no ar. “No período pré-Copa, o que as prefeituras das cidades brasileiras estão fazendo com os animais abandonados?” Os turistas não podem ver mais esse descaso com a saúde pública – porque o abandono de animais nas ruas é, além de crime, caso de saúde pública sim, pois, disseminam doenças entre eles e para nós, além de se reproduzirem sem nenhum controle.

Mas a Copa do Mundo não afeta apenas os animais que vivem nas ruas. Os que moram em casas com todo amor, carinho e luxo também sofrem com o Mundial. Como? Muito simples: com o barulho de fogos, rojões, gritos, música alta e tantas outras formas de festejos. É bom lembrar que a audição dos animais é muito mais aguçada do que a nossa. Agora, imagina os que moram nas ruas que ainda têm que “dormir com um barulho desses”?!

Bom, mas, nem tudo está perdido! O pessoal da Cão Cidadão, rede de franquias que trabalha com adestramento e comportamento animal publicou uma cartilha com algumas dicas para que nossos amiguinhos passem esses próximos dias sem muito estresse. Trata-se da Copa sem estresse – driblando o medo de fogos e outros barulhos.

O mais bacana é que a publicação não traz apenas orientações sobre o que fazer ou não fazer – é completo, explica, inclusive, questões comportamentais lá dos ancestrais dos nossos amiguinhos, ressalta ainda a questão do responsável ter e manter a paciência com o animal, os cuidados com identificação e com sua segurança, para que não fujam de casa, entre outros detalhes enriquecedores.

Outro diferencial é que o guia traz estratégias para fazer nos dias que antecedem aos jogos, sobretudo aos do Brasil, e, também, ações para serem aplicadas nos dias das competições.

Vale fazer o download do material: http://www.caocidadao.com.br/medo-de-fogos/

Afinal, quem ama cuida e já que vai ter Copa, que todos possam comemorar com alegria e segurança – dentro e fora do campo, tendo duas pernas ou quatro patas!

Ah! Mas, ainda tem outro ponto importante! Nada de pintar o seu amigão de verde e amarelo ou vesti-lo com roupinhas, etc…, hein? Se quiser comemorar de forma inusitada, se vista assim ou pinte a si mesmo e vá pra rua! Lembre-se: a festa é nossa, não deles!

Um abraço e que venha o Hexa!

 

14518701_1195817927157974_169979276_n Pauline Machado é jornalista e editora do Canal de Estimação